26 enero, 2008

Entre recortes

Essa já tava pra sair faz tempo. Mexendo nos papéis, recortes, revistas, arquivos, anotações, pedaços dos últimos meses, repasso parte da história com a qual cruzei. E não foi pouca coisa, não.
Só na política, Zapatero desconheceu preço de cafezinho e virou notícia nacional. Teve eleições municipais e autonômicas, com campanha forte na Internet, incluindo vídeo xenofóbico. Jordi Hereu fica em Barcelona e me manda cartão de Natal. Se fala de crise e de especulação anti-patriótica. PP e PSoe trocam acusações sobre tudo e não concordam com nada. Terrorismo e imigração são temas jogados como peteca em disputa eleitoral.

Teve atentando do Eta na França e greve de fome de etarra na prisão. Resultado do julgamento do atentado terrorista de 11 de março de 2004 em Madri e, agora são presos paquistaneses no Raval acusados de planejar um atentado no metrô de Barcelona. Suspeita que leva mais polícia mas, ao que espero, não apaga a força multicultural do bairro.


A realeza andou a mil, com nascimento da infanta Sofia e todo o ritual de apresentação, batismo e bênção possível de se ver na televisão (e jornal, revista, site). Juan Carlos fez 70 anos e diz que segue reinando por aqui sem pressa de ir embora. Mais do que isso, atingiu o posto de celebridade internacional com a frase que virou slogan de camiseta, nome de sanduíche e letra de reggaeton. Sem esqueçar da crise diplomática do Marrocos e outras trapalhadas mais.


Ah, morrem soldados espanhóis e imigrantes no Afeganistão. Madri vira a capital dos estressados (ou dos que andam mais rápido, segundo uma dessas pesquisas de caráter curioso). Barcelona tem mini-pisos de luxo. Bulling no You Tube vira notícia e direito ao aborto é colocado em discussão. Um número sem-fim de mulheres morrem queimadas, esfaqueadas, espancadas por seus maridos. Poças de sangue e testemunho padrão de vizinhos que escutavam os gritos estão em cadeia nacional.


Recuperação da memória histórica vira lei. AVE, definitivamente, passa por baixo da Sagrada Família. Introdução da disciplina de Educação para a Cidadania vira polêmica, com campanha contrária da Igreja e de alguns pais para quem, ao que parece, há temas sobre os quais é melhor não falar. Menina de Girona ganha na justiça o direito de ir de véu à escola. E, retrocesso de anos-luz, discute-se projeto de criação de aulas especiais nas escolas para crianças recém chegadas.



Show dos Rolling Stones, do The Police. Serrat e Sabina fazem turnê juntos. Estardalhaço em torno de El Orfanato, que acabou fora do Oscar. Mas sobra prêmio e indicações pro lindo+talentoso Javier Bardem que (arghh) resolve namorar a Penélope Cruz. Só pra situar o contexto de estrelas de todas e nenhuma grandeza que enchem as capas de revistas e os programas de fofoca na televisão. Claro, que também tive que me acostumar com a idéia da elegância da duquesa de Alba e acompanhar os preparativos do casamento de Borja e Blanca.



Ronaldinho joga e não joga. Ganha fama de boêmio, desestimulado, vida mansa. Parece que vai, mas acaba ficando. E Raul? Afinal, entra Raul pra seleção de futebol ou não? Alonso briga com Hamilton e com todo o mundo. Não ganha o campeonato, mas, que importa? Seu companheiro também não... Rafa Nadal, Pau Gasol e Calderón passaram a integrar meu universo de interesse esportivo.




Agora tem mais eleição, com perguntas postadas na Internet para os candidatos a presidente do governo. E segue o baile.

2 comentarios:

ana b. dijo...

Profe querida! Mudei o endereço do blog, edita aí:
www.cemmeiaspalavras.blogspot.com
bjãozão

Liliane dijo...

Tanta correria que não deu tempo, Aninha. Já atualizo. Beijos ;)